Empreendedorismo Gestão Financeira Negócios Digitais

Cotação do dólar nas faturas de cartão de crédito

Depois de ler o post sobre as diferenças entre dólar comercial, turismo e paralelo — do portal Formando Empresários —, pensamos em escrever sobre algo que também gera muitas dúvidas: Qual a taxa utilizada para o dólar nas faturas de cartão de crédito? A seguir, confira a resposta!

Não existe regra para o dólar nas faturas

O mercado de câmbio é livre no Brasil, o que significa que as cotações (formação de preço da moeda) são alteradas de acordo com a oferta e a demanda pela moeda. Resumidamente, quando há dólar demais na praça, ele passa a valer menos; quando a moeda estrangeira está em falta, seu preço sobe.

É importante lembrar que a referência para empresas de comércio exterior, bancos e varejo é o dólar comercial. No caso dos cartões de crédito (e suas faturas), especificamente, o valor utilizado pelas instituições financeiras e administradoras costuma ser a cotação do dólar comercial somada a uma margem de ganho (spread).

Infelizmente, as instituições financeiras não são obrigadas a detalhar este cálculo e, por isso, optam por não divulgar a fórmula para a cotação utilizada nos cartões de crédito. Em geral, os valores da moeda utilizados para conversão nas faturas se situam entre o dólar comercial e o dólar turismo.

Como agem nossos bancos?

De acordo com especialistas, uma das poucas instituições que divulga sua base de cálculo é o Banco do Brasil, e funciona da seguinte maneira: a regra do banco é pegar a taxa Ptax (média do Banco Central) do dia anterior e cobrar mais 2%.

Fazendo um paralelo entre as instituições: o Bradesco e American Express cobram valores bem próximos à cotação do dólar turismo. Santander e Banco do Brasil apresentam taxas intermediárias, quase na média entre as cotações comercial e turismo. Já a Caixa Econômica e o Itaú tem as taxas mais próximas do valor cobrado pelo dólar comercial no dia anterior ao fechamento da fatura.

O que podemos fazer?

É recomendável sempre observar atentamente os valores descritos na fatura de cartão de crédito e contatar a administradora e o banco emissor para questionar os valores utilizados na cobrança — Assim, você saberá que cartão é melhor para gastos no exterior e porquê.

Sobre o autor

Empreendedor Magnético

Deixe um comentário